Últimas

quarta-feira, 29 de junho de 2016

A NEW KIND OF PRINTER


Ludwig Rensch questionou o aspecto geral das impressoras comuns e a capacidade que tem de trasnformar qualquer espaço que ocupem numa espécie de escritório. Decidiu então começar do zero e repensar todo o produto. "Paper" é parte da tese de diploma de Rensch, que explora como as máquinas de hoje podem ser usadas de forma intuitiva e analisa a sua capacidade de  interacção com as coisas. Apesar de ser um dispositivo conectado (a internet das coisas), não tem uma tela, mas usa controles físicos e sinais de luz simples em vez disso, para aproveitar as habilidades motoras humanas.




A "Paper" também existem no espaço virtual e pode ser operada por um aplicativo ou um site. Assim, reúne o analógico e o mundo digital, as transferências de conteúdo visual de um para o outro, e o resultado é uma forma inteiramente nova de interagir com uma impressora fora do comum. Imprime num rolo de papel na posição vertical e, portanto, é compacta, económica em termos de ocupação de espaço e mobiliário. Ao contrário de ser uma necessidade cinzenta para ambientes de trabalho, é uma ferramenta criativa e esteticamente agradável e divertida.


Em análise à utilização comum destes aparelhos, Rensch definiu funções-chave para a impressora, analisou os procedimentos necessários e simplificou-os até que o resultado foi um produto fácil de entender, agradável e minimalista.